quinta-feira, 10 de maio de 2018

Depois dos muros... (29.09.2018)

Fotografia: Danilo Cerqueira


Depois dos muros
onde estamos?
Quando o olhar se ergue
aonde vamos?
Depois do muro, um pórtico-espelho
não nos vemos pelas costas?
Depois dos muros
caímos em prantos.

Depois dos muros
ao vento bradamos, ofendidos
sobre o dano, sobre o ganho.

Depois dos muros
o verso não está em branco...

Depois dos muros
cada um está tecendo seu canto?
Cada um está revendo o seu canto?
Cada um está devendo ao seu canto?
Cada um está demolindo os muros de seu canto?

Cada um está erguendo novos muros...
e demole novos velhos muros...
e descobre novos cantos
e enxuga novos prantos...
e avista, à distancia da curva terrestre...
muros são grossas linhas
meras sublinhas.


Danilo Cerqueira

sábado, 20 de maio de 2017

Músicas Narrativas ...

Porque ler é uma viagem...
E as pautas são faixas
E a verdade nunca é absoluta
É apenas absolutamente
Ou seja
Seu modo é mais importante do que o conteúdo


sábado, 10 de dezembro de 2016

FEITO

Poesia,
não escrevo...
Cravo nesta manta
um sono arábico de inteligências
renegadas, um instinto excluído
de zonas erógenas...
Uma coisa é existir...
Outra é não continuar a ser...

Danilo Cerqueira
09/12/2016